You are currently viewing 8 factores que comprovam a influência determinante da alimentação da grávida na saúde do bebé

8 factores que comprovam a influência determinante da alimentação da grávida na saúde do bebé

O período concepcional é o mais importante na vida de um bebé, pelo que a mãe deve ter a melhor alimentação possível durante este período.

Conhece os 8 factores que comprovam a influência determinante da alimentação da grávida no desenvolvimento do bebé e na formação das suas preferências alimentares para a vida:

  • Ácido fólico – é a principal vitamina da gravidez. Tem crucial importância no crescimento da placenta e na formação celular do bebé. É recomendado o reforço desta vitamina mesmo desde o período pré-concepcional. Os alimentos mais ricos são: cereais integrais, frutas, vegetais de folha verde (ex. espinafres, brócolos e espargos), leguminosas, carne e ovo.
  • Ferro – nutriente responsável por sintetizar hemoglobina, cuja função é fornecer oxigénio para o bebé. As principais fontes alimentares são: carne, peixe, ovo, leguminosas, cereais integrais, leguminosas e vegetais de folha verde.
  • Iodo – nutriente que contribui para o desenvolvimento mental do bebé, nomeadamente para o QI. Está presente em alimentos como: peixes, ovo e lacticínios.
  • Cálcio e magnésio – minerais que contribuem para a formação da massa óssea. Os alimentos mais ricos são: lacticínios, vegetais de folha verde, oleaginosas e leguminosas.
  • Ómega 3 – nutriente responsável pelo desenvolvimento neurológico do bebé. As principais fontes alimentares são: peixes gordos (ex. salmão, cavala e sardinha), oleaginosas e sementes.
  • Proteína – nutriente responsável pelo desenvolvimento da massa muscular e órgãos do bebé. Está presente em alimentos como: carne, peixe, ovos, leguminosas e lacticínios.
  • Hidratos de carbono – nutriente fulcral para o crescimento do bebé. As principais fontes alimentares saudáveis são: arroz, massa, batata, quinoa, aveia, feijão, grão, lentilhas, ervilhas e as frutas. É fundamental que evites dietas muito restritivas com receio de engordar pois o aumento de peso é normal e recomendável na gravidez, mas que também não consideres que por estar grávida deves “comer por dois”. Deves sim fazer uma ingestão equilibrada.
  • Formação das preferências alimentares – a alimentação da mamã influencia as características de olfacto e sabor do líquido amniótico e futuramente do leite materno. As células do olfacto e do sabor começam a formar-se logo às 8 semanas de gravidez e estão maduras por volta das 20 semanas. A futura aceitação dos alimentos está por isso não só ligada ao método de introdução mas a toda a memória e familiaridade de sabores e aromas a que o bebé foi exposto durante a gravidez e amamentação.

Acredita mamã, a futura alimentação do teu bebé está nas tuas mãos logo desde a gravidez! 😉

Deixe um comentário